Páginas

terça-feira, 30 de junho de 2009

Eu fui condenado sem ter juíz

As mãos que afagam meu cabelo, fio a fio, constroem um mundo de sonhos. O céu hoje mudou de tom e nos iluminou, cantou a nossa música e fez as notas dançarem, libertou nossas almas e nos fez buscar algo além do amor. A chuva repunha as lágrimas que outrora escorreram e deslizaram pelo rosto. Condenaram-me sem ao menos conhecer e decifrar o que meus olhos tentavam dizer. Não posso fugir, os pensamentos correm e me retomam a ti, correm mais um pouco e alimentam sintomas irreais. Quando o coração resolve acompanhá-los restam-me duas saídas: rendo-me ou nego-os completamente.

3 comentários:

  1. "rendo-me ou nego-os completamente. "
    Nem sempre há a segunda opção.

    ResponderExcluir
  2. Muito bom seu blog gostaria de segui-lo se vc permitir. Parabens bjs

    ResponderExcluir